25 de setembro de 2021

Mestre Felipe Marçal

Taekwondo Blumenau

atletas taekwondo toquio

atletas taekwondo toquio

3 Atletas de Taekwondo nas Olimpíadas de Tóquio

Milena Titoneli

Milena Titoneli Guimarães
Nascimento:. São Caetano do Sul (SP)
Nascida em 06/08/1998
Peso: 67kg
Pan: 1 (Lima-2019)
Olimpíada: 0

Milena Titoneli é uma atleta do Time Ajinomoto medalhista mundial do taekwondo que representará o Brasil na categoria peso médio masculino (até 67kg) nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Será a única mulher brasileira da modalidade na Olimpíada.

“Paitrocínio”

Na infância, em São Caetano, na grande São Paulo, Milena chorava quando era provocada por seus colegas por não saber jogar basquete. Com 13 anos, a lutadora foi incentivada a praticar algum esporte. No ano seguinte, em 2012, Milena começou a treinar taekwondo e ficava até tarde assistindo as lutas da medalhista olímpica Natália Falavigna.

A atleta precisou do apoio da família com boa parte dos custos durante sua carreira de atleta, mesmo quando começou a se profissionalizar. Os maiores torcedores sempre foram seus pais, que investiam na paixão dela pela luta.

No começo, a mãe queria que a filha fizesse vôlei ou basquete e o pai ficava preocupado quando Milena chegava em casa machucada. Em 2014, a lutadora participou dos Jogos Olímpicos da Juventude já sonhando em competir no evento adulto.

Os resultados expressivos como profissional tiveram início em 2018, quando ganhou a medalha de bronze no Campeonato Pan-Americano de Taekwondo, disputado em Spokane, nos Estados Unidos. No mesmo ano, Milena também foi campeã do Campeonato Mundial Militar de Taekwondo na categoria até 67kg, em edição disputada no Rio de Janeiro.

A lutadora apresentou sua capacidade em 2018, mas foi em 2019 que passou a ser reconhecida com conquistas ainda mais importantes.

Um ano espetacular

A lutadora alcançou feitos históricos em duas competições relevantes. Milena chegou até a semifinal do Campeonato Mundial, realizado em Manchester, na Inglaterra. Ela acabou sendo derrotada pela turca Nur Tatar Askari e ficou com medalha de bronze.

A consagração ocorreu com a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima-2019, se tornando a primeira brasileira da história a ser campeã nesse evento.

O ano de 2019 reservava ainda mais prêmios para a competidora. Depois das conquistas lutando, Milena foi premiada em eventos fora dos ginásios de competição. Por causa de sua temporada vitoriosa, a lutadora foi eleita a melhor atleta do ano pela Confederação Brasileira de Taekwondo (CBTKD) e ganhou o Prêmio Brasil Olímpico a melhor atleta de sua modalidade em evento organizado pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB).

A atleta sempre teve a ida aos Jogos Olímpicos como um sonho, que já conseguiu realizar com a vaga conquistada em março de 2020.

Em 2021

No momento, Milena aparece na 11ª colocação no ranking Olímpico e na 8ª posição no ranking mundial, ambos na categoria até 67kg.

A primeira competição de Milena Titoneli ocorreu em abril no Aberto de Sófia, na Bulgária. Lutando na categoria até 87 kg, Ícaro Miguel foi derrotado apenas na semifinal e ficou com a medalha de bronze.

Pouco depois, em junho, voltou a competir no Campeonato Pan-Americano de Taekwondo, no México. Milena entrou como favorita e comprou isso nos combates. Ao final, levou a medalha de ouro.

Na sequência, Milene participou Open do México de taekwondo, em Cancún. A atleta levou outra medalha de ouro, sobrando mais uma vez na competição.

netinho marques tkd

Edival Marques Quirino Pontes (Netinho)
Nascimento:. João Pessoa/PB
Nascido em 11/10/1997
Altura: 1,80m
Peso: 69kg
Pan: 1 (Lima-2019)
Olimpíada: 0

Edival Pontes, mais conhecido como Netinho, é uma dos atletas do taekwondo que representará o Brasil na categoria peso pena masculino (até 69kg) nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020. Netinho foi o primeiro atleta da modalidade a se garantir na Olimpíada.

Um hiperativo que chutava bem

Nascido na capital da Paraíba, Edival Marques Quirino Pontes, o Netinho, era uma criança bastante hiperativa. Seus pais buscaram no esporte uma maneira de entretê-lo. Filho de zagueiro, o paraibano quase foi para o futebol, mas graças ao pai de um amigo, experimentou o taekwondo e gostou.

Netinho foi colocado pelo pai em uma escolinha de futebol, mas quando um novo amigo da rua em que morava o convidou para jogar videogame tudo mudou. Lá, o pai desse colega, que era mestre de taekwondo, o convidou para uma aula experimental. O garoto de sete anos adorou a modalidade, não pensou duas vezes em largar o futebol e seguiu evoluindo, tanto é que cinco anos depois se tornou campeão brasileiro entre os juniores.

Pleiteando a seleção brasileira de base, Netinho bateu na trave duas vezes seguidas na seletiva. Frustrado, ele pensou em desistir do taekwondo, mas seu pai entrou em ação e levou o filho para treinar em Brasília, onde o garoto foi acolhido por Guilherme Dias, atleta que, na época, era uma das revelações da modalidade, porém preferiu deixar o esporte precocemente depois. Aos 15 anos, Netinho, enfim, conseguiu ir para a seleção brasileira.

Decepção, mudança e volta por cima

Campeão de várias competições importantes no Júnior e Juvenil, entre elas os Jogos Olímpicos da Juventude, Netinho alimentou esperanças de ir às Olimpíadas do Rio de Janeiro, mas não conseguiu a vaga.

A decepção gerou uma mudança de rumo na carreira, uma vez que ele deixou a categoria até 63 kg e foi lutar entre os atletas do peso pena masculino.

Após disputar os Mundiais de 2017 e 2019, mas não passar das primeiras fases, Netinho conquistou a medalha de ouro nos Jogos Pan-Americanos de Lima.

Em março de 2020, Edival Pontes conseguiu a sonhada vaga para as Olimpíadas de Tóquio através do Pré-Olímpico das Américas, disputado na Costa Rica. Sexto do ranking olímpico na categoria até 68 kg, o paraibano acredita que pode medalhar no Japão.

Em 2021

Primeiro atleta brasileiro do taekwondo a garantir lugar nos Jogos Olímpicos de Tóquio, o lutador paraibano ficou mais de um ano sem lutar em uma competição oficial. Durante o ano passado, o atleta passou por uma cirurgia de desvio de septo e treinou muito ao lado de sua noiva Talisca Reis.

O retorno ocorreu no Aberto de Sófia, na Bulgária, na categoria até 68kg. Netinho acabou caindo cedo na categoria até 68kg, mas considerou positiva sua volta aos tatames.

“A gente foi pra Sérvia treinar. Aproveitamos e fomos pra esse Open da Bulgária. Foi bom e foi ruim ao mesmo tempo. Eu acabei perdendo de 14 a 13 para um alemão, mas pelo menos voltei a ter ritmo. Você treina e treina no dia a dia, mas o clima da competição é totalmente outro,” contou Netinho em live no TIkTok com o Olimpíada Todo Dia.

Após o tour na Europa, Netinho esteve nos Estados Unidos para outra sessão de treinos ao lado dos companheiros de seleção.

O atleta voltaria a competir antes de estrear nos Jogos Olímpicos de Tóquio no Pan-Americano de taekwondo, mas sentiu uma lesão e foi poupado pela comissão técnica. Netinho está bem e confirmado para a Olimpíada

Icaro Miguel

Ícaro Miguel Soares
Nascimento:. Betim/MG
Nascido em 29/04/1997
Altura: 1,87m
Peso: 80kg
Pan: 1 (Lima-2019)
Olimpíada: 0

Ícaro Miguel é uma dos atletas do taekwondo que representará o Brasil na categoria peso médio masculino (até 80kg) nos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020.

O mineiro compete nas duas categorias, 87 kg e 80 kg, mas somente a mais leve entre as duas faz parte do programa dos Jogos Olímpicos.

Acidente na vista

Ícaro Miguel Martins Soares é natural de Betim, Minas Gerais. Aos seis anos de idade, ele sofreu um acidente caseiro. A mãe se confundiu, pingou amônia ao invés de água boricada em seu olho direito. O incidente queimou a córnea, retina e nervo óptico queimados, deixando-o, atualmente, com apenas 10% da visão.

Com oito para nove anos, Ícaro comentou com o pai que queria fazer uma luta. O pai e a mãe já tinham feito taekwondo e não pensaram duas vezes em iniciar o filho. No fim das contas, a família toda começou a treinar taekwondo, mas apenas Ícaro seguiu em frente.

Em 2010, Ícaro pegou sua faixa preta e entrou para o time do Sesi da cidade, onde ficou até 2014. Em 2012, ele participou de seu primeiro Campeonato Mundial.

Pirata Faixa preta

Daí em diante, o atleta entrou para o time Two Brothers, de São Caetano, sinônimo de excelência no taekwondo. Em 2017, Ícaro participou de seu segundo Campeonato Mundial.

Em 2018, veio a primeira grande conquista. Pelo Pan-Americano de taekwondo, Ícaro terminou com a prata Spokane, nos Estados Unidos.

O melhor ano

Embalado, 2019 foi o grande ano do atleta. Pelo Campeonato Mundial de Manchester, na Inglaterra, Ícaro foi finalista e só foi superado pelo o russo Vladislav Larin, terminando com a prata na competição. Ainda em 2019, também conquistou o bronze no Grand Prix de Sofia, na Bulgária.

Em seguida, Ícaro foi para os Jogos Pan-Americanos de Lima 2019, no Peru. Novamente, o brasileiro foi finalista, mas terminou com a prata na categoria até 87kg, que não é olímpica.

Em 2020, Ícaro conquistou a sua vaga para os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 ao ser finalista do torneio Pré-Olímpico Pan-Americano realizado em Heredia, na Costa Rica. Pouco tempo depois, Ícaro assumiu o primeiro lugar no ranking mundial da categoria até 87 kg, tornando-se o primeiro atleta brasileiro a liderar um ranking.

Em 2021

A primeira competição de Ícaro Miguel ocorreu em abril no Aberto de Sófia, na Bulgária. Lutando na categoria até 87 kg, Ícaro Miguel foi derrotado apenas na decisão e ficou com a medalha de prata.

Mais tarde, em junho, disputa do Pan-Americano de taekwondo na categoria até 87kg, Ícaro Miguel entrou na competição direto na semifinal. No primeiro combate, o brasileiro teve pela frente o americano Dallas Parker e a vitória veio com muita facilidade, por 34 a 2. Na decisão, o representante do Brasil, venceu o oponente o Bryan Salazar, do México, no Golden Score e levou a medalha de ouro.

Na sequência, Ícaro participou Open do México de taekwondo, em Cancún. O atleta levou a medalha de prata, perdendo a final para o canadense John Stewart.

Atualmente, Ícaro Miguel ocupa a quarta colocação do ranking olímpico, atrás apenas de Cheick Cisse (Costa do Marfim), Milad Harchegani (Azerbaijão) e Maksim Khrmtcov (Rússia).

Para entrar em contato comigo, mandar sugestões de vídeos, informar erros, etc.. CLIQUE AQUI e preencha o formulário.

Compartilhar: