17 de maio de 2022

Mestre Felipe Marçal

Taekwondo Blumenau

Regras Taekwondo

Regras Taekwondo

Alterações nas regras que devolverão a essência ao Taekwondo

OPINIÃO. Depois dos Jogos Olímpicos, a competição máxima do Taekwondo, são múltiplas análises, comentários que foram expostos por treinadores, atletas e adeptos de alto rendimento, uns muito satisfeitos com o desenvolvimento que surge na luta, outros pelo contrário, solicitando mudanças no Taekwondo Mundial.

Particularmente nós que recorremos à imprensa coreana e fontes do berço do Taekwondo temos observado de professores, jornalistas e até atletas que uma mudança é necessária, culpando os regulamentos e o protetor eletrônico.

Neste artigo, o mestre espanhol José Martin del Campo, mais conhecido por Xixo, propõe uma mudança revolucionária para o Taekwondo. “ Como o esporte é regulamentado, o regulamento condiciona a solução dos problemas psico e sociomotores que ocorrem nas situações de jogo, e essas respostas são o que o espectador vê e podem ou não despertar sua admiração, pela dificuldade técnica empregada e pela originalidade escolhidos para resolver a situação ” . 

O treinador do Real Madrid continua: ” Portanto, o regulamento está condicionando diretamente o espetáculo dos atletas no desenvolvimento do jogo”. 

Com isso limitado, o que se segue é analisar quais elementos dos regulamentos de combate atuais tornam o taekwondo não tão atraente aos olhos dos fãs ou fãs em potencial. 

 

Em primeiro lugar taticamente, vemos como uma alta porcentagem dos pontos é alcançada com um olhar e / ou uma couraça, ou retificação dela, punho e traseiro, em suma gui largo ou variantes pela parte de trás da cabeça. Porém, as ações que mais gosto, por serem as mais proeminentes em vídeos e resumos, são as voltas e a retaguarda direta. 

 

Embora um grande avanço tenha sido alcançado, dando pontos extras à reviravolta, ainda devemos promover mais o resto das ações, e com os regulamentos, promover as ações mais coloridas. 

Na minha humilde opinião, e com base na minha experiência didática e esportiva, acredito que as mudanças a seguir poderiam aumentar a espetacularidade do nosso esporte, e ele recuperaria seu caráter marcial. 

CONSIDERAÇÕES.

 
  1. Em um sistema de pontuação eletrônico, com um limite de pontuação, não faz sentido que muitos dos pontos sejam atribuídos de uma forma totalmente subjetiva, sendo uma opção para não ter que chutar. O punho deve ser um elemento tático não pontuável. Um ato permitido, mas que não serviu para aumentar o placar. 
  2. Permita empurrar ou separar só e exclusivamente se o corpo do oponente estiver colado ao seu, ou seja, para abrir distância, nunca para destruir o trabalho do oponente. Empurre , se não for para separar, deve ser gancheun
  3. A perna da frente mascarada bloqueia. Embora no documento de regulamento o bloqueio de joelho seja tipificado como punível, na prática vemos como estrategicamente, a maioria dos atletas, utiliza sistematicamente bloqueios de joelho e desvios de trajetória, colocando a perna abaixo da do adversário. Essas ações devem ser penalizadas, assim como acertar o oponente abaixo da cintura quando ele estiver girando. Na prática, a forma como essas ações são arbitradas beneficia o infrator, sendo o atleta que busca o placar penalizado sobre aquele que destrói a ação. 
  4. Seria muito positivo, se a não pontuação fosse recuperada da parte de trás da cabeça (das orelhas para as costas), o que causaria uma luta mais limpa, sem artifícios ou técnicas de ginástica rítmica. 
  5. E por último, as ações ou técnicas consecutivas que poderiam ser realizadas com a mesma perna devem ser limitadas a 2 , obrigando o atleta a ter que combinar mais ações com a retaguarda e a virada, e gerando mais possibilidades táticas ao contrário. estar vendo situações motoras com maior número de alternativas de resposta e, portanto, maior espetáculo. 

CONCLUSÕES.

Do meu ponto de vista com essas quatro nuances, o combate não poderia ser decidido subjetivamente pelos cantos, não beneficiaria os atletas destrutivos, e seriam geradas situações de combate mais abertas, enriqueceria taticamente o jogo. 

Por fim, e não mais tratando do jogo em si, mas dos requisitos de participação e da saúde dos atletas e de sua aparência, seria muito interessante que as categorias fossem por altura, ao invés de peso, de forma que os fenótipos buscados na educação e No trabalho de treinamento, eles tendem a procurar indivíduos atléticos em vez de endomorfos, que estão longe da população de aparência saudável que a população procura. 

 Por fim, para dizer que o nosso esporte é um daqueles que, senão o que mais sofreu mudanças regulatórias nos últimos dez anos. Na minha humilde opinião, eles deveriam estudar bem as possíveis mudanças, substanciá-las esportivamente e cientificamente e introduzi-las nas competições de base, antes de colocá-las em alta competição. É assim que funciona em outros esportes, e como resultados são obtidos mais em linha com os buscados. 

Posto isto, tenho que esclarecer que atletas e treinadores só trabalham para resolver os problemas que o jogo apresenta. Se essas regras condicionarem a resolução com ações espetaculares, o esporte será espetacular e o atleta também se divertirá mais. Os executores nunca podem ser responsabilizados pela falta de ostentação em um esporte, pois seu objetivo é pontuar mais do que o contrário, com a máxima eficiência e economia, se a ostentação não for premiada ou pontuada, não é necessário. 

Como resultado, o regulamento deve condicionar o espetáculo, e aqueles que o ditam devem ser muito claros sobre o que procuram e o que consideram espetacular. Espero que eles acertem logo a tecla, assim como acertaram a tecla para tornar a luta mais justa, desde que os sistemas eletrônicos foram implantados.

Fonte: https://mundotaekwondo.com/cambios-en-las-reglas-que-devolveria-la-esencia-al-taekwondo-y-aumentarian-su-vistosidad/

Para entrar em contato comigo, mandar sugestões de vídeos, informar erros, etc.. CLIQUE AQUI e preencha o formulário.

Compartilhar: